18 junho 2006

Mordido

Hoje, Dia dos Pais aqui na Argentina, Uínsto me mordeu.

Claramente está disputando território comigo. O bichinho anda agressivo desde sua chegada, talvez em parte por estar se acostumando a um ambiente novo, talvez em parte porque passou por uma dose considerável de stress e mudanças grandes em um período curto de tempo, justamente em sua formação na chegada à idade adulta, o que provavelmente o deixou um tanto desajustado...

Independente de explicações da psicologia canina, minha reação à mordida foi curiosa: fiquei frustado. Uma frustração paterna, uma sensação horrível de que falhei em sua criação...e, ao mesmo tempo, fiquei decepcionado com o comportamento dele...Céus, é só um cachorro, cachorros fazem o que cachorros fazem...vai entender minha reação...

Diante disso, não posso deixar de me perguntar...se apenas um cachorro é capaz de gerar esse tipo de reação, como é que há irresponsáveis no mundo que têm filhos?!? Como alguém pode querer um fardo desses?!? Só para passar adiante o legado de nossa miséria?! Isso simplesmente não entra na minha cabeça...

...aquele investimento em uma vasectomia parece cada dia mais atraente...

PS 20/6: Coincidentemente, este post veio ao mesmo tempo de uma discussão entre blogs de gente grande, o LLL e o Biajoni. Clique nos links para ver os posts deles. Não vou entrar nessa discussão, nem tenho a pretensão de achar que meu post teve algo a ver com isso, mas obviamente concordo com Tio Alex, com o acréscimo do perfeito comentário ecológico ao post original de Biajoni, de autoria da Malla, minha mais fiel leitora (que anda meio brava pelos comentários futebolístico-machistas de meu outro post). Acho engraçado que a manifestação da vontade de não ter filhos provoque reações tão apaixonadas em quem teve filhos, por opção ou não. Será que somos um lembrete do que eles estão perdendo? Se somos, qual o fuzuê, afinal, não são os procriadores um lembrete de coisas que nós, os não procriadores, estamos perdendo também? Cada um que arque com os custos de sua decisão...não existe liberdade de escolha sem responsabilidade...

3 comentaram:

Camila X. disse...

Oh Felipe, tadinho de voce. Desde quando voce tem seu cachorro?
Beijos,
Camila

Lucia Malla disse...

Ando meio brava eh otimo, Camburizinho! :-)

(No dia em q eu conseguir ficar brava com vc ou com alguem q seja, acho q me dou um premio. Nao consigo ficar brava nem com meu gato q me arranha a torto e a direito e detona minhas roupas! A ultima vez q fiquei realmente brava foi com meu ex-orientador, mas acho q isso eh normal no mundo da ciencia... hahahahhaaha!!)

Quanto a polemica dos filhos, me deparo com a mesma reacao q a sua: acho engracado todo esse fervor tanto de um lado como do outro. Me pareceu ao ler o texto q nao dava pra ter um meio-termo: ou vc quer e eh um santo, ou vc nao quer e eh um monstro. Viver no maniqueismo nao estah certo em hipotese alguma, na minha opiniao.

Biajoni disse...

tomei ferro naquela discussão, fião.
deixa as polêmicas com o alex...
e me deixa voltar a falar de filmecos e bandas obscuras.
:>)