05 maio 2007

Divagações a partir das estatísticas deste blog

O blog passou a marca das 13.000 visitas desde sua inauguração em 2004, umas 20-25 em média por dia. É pouquinho, dá para ganhar nada com o Google AdSense, mas é bem razoável considerando que é um blog pessoal e que ninguém comenta nada aqui.

Em fevereiro, adicionei ao contador de visitas um código de tracking para saber afinal por que me visitam. A Internet é um bicho estranho, é possível manter anonimato mas não esconder o que você anda fazendo - já se deu conta como os anúncios no seu Gmail estranhamente têm a ver com as últimas páginas que você visitou e com o conteúdo de seus emails? Tudo é monitorado para direcionar anúncios, sugestões de compras, promoções.

Isso significa que em algum lugar há uma máquina que te conhece o suficiente para sugerir seu próximo livro, muitas vezes com razoável grau de acerto. Lembro de um postal do PostSecret que dizia algo bem deprimente na linha de "Amazon.com knows me better than my husband does!".

Se nossa identidade é função de nossas escolhas pessoais, nossa "identidade virtual" é função das páginas que visitamos. Quanto tempo até que todo o conteúdo do que lemos e vemos na internet seja totalmente direcionado, "sob medida" para nossos gostos? O editorial de seu jornal diário poderia ter textos alternativos, dependendo se você visita mais sites "de direita" ou "de esquerda". E não adianta dizer que você não curte fotos de "anões nus bezuntados de mostarda", os cookies e o histórico de seu browser provam o contrário.

Voltando ao tracking deste blog. O código me permite saber, por exemplo, que além da minha mãe eu tenho uma meia dúzia de leitores fiéis (quase todos amigos de BSB, dá para deduzir quem são pelas páginas de onde eles vêm), que ainda não usam RSS e que por isso checam o site com muita freqüência.

É possível saber também que alguns de meus posts mais lidos são Seis graus para Kevin Bacon e O Efeito Borboleta, que muita gente vem parar aqui procurando coisas sobre Tasmânia, Patagônia, Antártica, Shackleton e Amyr Klink, mas que há uma distribuição até razoável entre os termos procurados, Rosanne Holland entre eles.

O mais engraçado desse tracking, no entanto, é descobrir como vêm parar aqui leitores por acaso, pelas pesquisas que fizeram nos mecanismos de busca. Suspeito que o Grande Irmão dá uma ajuda involuntária a meus índices de audiência; desde que fiz a transição para o Blogger Google, o site passou a aparecer mais no Oráculo. Com as improváveis combinações geradas pelas páginas dos posts classificados cronologicamente ou por categorias, então, há pessoas que caem de paraquedas aqui buscando as coisas mais bizarras. Minha favorita entre as últimas buscas é "como é feita a higiene do ornitorrinco". Graças a combinações aleatórias nos diferentes posts do blog, coisas que eu nunca escrevi aqui me trazem leitores, inclusive algumas de conteúdo pornográfico e ilegal.

Agora considerem como cada vez mais somos dependentes da inteligência coletiva do algoritmo do Oráculo. Juntem isso a como o monitoramento da internet define sua "identidade virtual". Taí um pensamento preocupante: o que o algoritmo do Oráculo vai pensar de mim?

2 comentaram:

Bera-chan disse...

Eu venho aqui direto porque, além de não usar RSS, tenho preguiça de colocar os links do Post Secret, do Kwalkwercoisa, ou do LLL no meu próprio blog e uso aqui de base de operação! Hehehehe :DDD

Mas por que será que alguém quer saber como se faz a higiene de um ornitorrinco?

Camburizinho disse...

E eu achando que as pessoas vinham aqui me ler....